(re)Encontro

Aparece na minha porta, senta no meu sofá, liga a TV, sinta-se em casa na casa que eu sempre quis dividir com você. Bota as pernas pra cima, fica confortável quanto eu corro ali pra passar batom.

Está entardecendo, amor. Eu te ofereço um café enquanto você me fala da sua nova vida que eu não quero saber. E a sua voz entorpece o resto que me resta de juízo, e só o que eu consigo pensar é no jeito doce com que você mexia no meu cabelo.

E eu sorrio, e você acha que eu estou feliz por você. Mas eu choro, e você nem percebe.

E depois você vai embora, deixando aqui um vácuo maior do que antes de você ter chegado..

Anúncios

it’s going to bleed… sometimes

A parte fácil é descobrir que não dá mais pra continuar como tá.

A parte difícil é descobrir como dizer isso sem parecer uma facada no coração.

A parte mais difícil ainda é saber que, com ou sem faca, eu vou terminar com as mãos vermelhas de uma dor que não é minha, mas que eu já senti. Mas é que já não dá mais…

Brandon, essa música nunca fez tanto sentido =x

Levante-me em minha honra
Livre-me desse feitiço
Tire esse peso de cima dos meus ombros
Eu o carreguei bem
Afrouxe essas algemas da pressão
Liberte-me dessas correntes
Não me leve à tentação
Segure firme em minha mão
Alivie minha mente
Retire a cortina de fumaça
E abra o céu
Deixe-me voar
Então eu preciso de uma libertação
Desta mente inquieta
Ajeite meus pés
Quando estiverem tropeçando
E bem, você sabe que dói as vezes
Você sabe que irá sangrar às vezes
Desenterre-me desta árvore de espinhos
Ajude-me a enterrar minha vergonha
Mantenha meus olhos longe do fogo
Eles não podem controlar as chamas
A graça abandonou meus irmãos
Quando a maior parte deles falhou
Eu carreguei bem
Deixe-me voar
Então eu preciso de uma libertação
Desta mente inquieta
Ajeite meus pés
Quando estiverem tropeçando
E bem, você sabe que dói as vezes
Você sabe que irá sangrar às vezes
Agora aguente firme
Eu não procuro uma conversa doce
Eu procuro procuro por tempo
Atingir o topo de uma torre e caminhar sonolentamente
Irmão, porquê as vezes dói…
Você sabe que as vezes irá sangrar
Aguente firme
Você sabe que as vezes irá doer
Quando você me chama
Aguente firme… (x3)
Eu irei escalar o lar daquela sinfonia
E fazê-la minha
Deixe que a sua ressonância
Ilumine o meu caminho
Veja, todos esses sofredores pessimistas
Pretendem me derrubar
Pois então eu poderia usar isto para armazenar
O que encontrei de bom

quando eu fecho os olhos

Essa noite eu sonhei contigo, amor. E parecia tão real que eu queria poder gravar pra te mostrar depois. Tu chegava lá em casa, batia no meu portão. E eu corria pra abrir, arrumando meu cabelo no caminho. E tu entrava e eu te levava pra sentar no sofá, e a gente ficava assim, quietinho, sem nem se tocar.

E eu ficava tão feliz, mas tão feliz só de estar perto de tu que eu nem ligava de não poder sequer segurar a tua mão.

E ai o tempo passava, e todo mundo ia embora, e só ficava eu e tu. E tu se levantava e me puxava pela mão. E a gente ia pro quintal, e tu me olhava nos olhos. E tu me dava um beijo, e a gente não queria mais soltar um do outro.

E não importava ninguém mais. Tu não se importava com ninguém mais.

E foi tão real, amor, que também no sonho tu foi embora.

E todo mundo tá lá fora pulando carnaval. Mas eu to aqui, escrevendo. Porque essa noite eu sonhei contigo, amor. E foi tão real que eu queria poder gravar.

Porque eu não acho que tu ia querer ver depois.