canção do apelo em rimas pobres

Ai, amor, que falta eu sinto

De você aqui comigo,

De quando tudo era lindo,

Quando tudo era verão.

Saudade das horas vagas,

De te abraçar na calçada,

De ouvir o teu sermão.

Ai, amor, veste um sorriso

Vem bater na minha porta,

Me canta uma história, uma canção.

E se não for pedir muito,

Olha meus olhos bem profundo,

E não solta da minha mão.

Me leva pra tua casa,

Me beija no sofá da sala,

Espalha nossas roupas pelo chão.

Me faz perder os meus medos,

Me diz que tudo está perfeito,

Que não é imaginação.

E se depois de tudo isso,

Para todos os pedidos,

Tua resposta ainda for não,

Então num último suspiro, eu te peço,

Amor querido,

Que devolvas meu coração.

Anúncios

parabéns

Era o dia do aniversário dela. Ela passou o dia olhando pra a foto no visor do celular, esperando que, a qualquer momento, The Killers tocasse alto e um nome especial aparecesse na telinha.

Mas deu meia noite, e todas as ligações foram iguais.

Ela atualizou as redes sociais o dia inteiro, cruzando os dedos para que pelo menos um, de todos os recados que recebeu, fosse do alguém que, um dia, foi o primeiro a cantar parabéns.

E enquanto ela partia o terceiro bolo que havia ganhado, ela sorriu triste.

Porque o primeiro pedaço teria sido dele.

E quando ela deitou a cabeça no travesseiro, ela quis chorar, mas não o fez. Ela só sentiu um aperto no coração. É que, antes, lembrar do que já foram a fazia feliz.

Mas agora, sempre que ela fica triste, é porque pensou no que deixaram de ser…